Glória a Deus nas Alturas

“Glória a Deus nas alturas,
e paz na terra aos homens
aos quais ele concede
o seu favor“. Lucas 2,14

Paz na terra…

Bombas em Paris, Nova Iorque, Istambul, e outras cidades, o mundo é violento, as pessoas são violentas, paira sobre os cidadãos a síndrome de conquistar a qualquer preço.
Por incrível que parece o povo cristão é diagnosticado como o mais perseguido na história da humanidade, os cristãos foram mortos desde o início da fé cristã, na perseguição contra a igreja, nas perseguições ocorridas nas grandes guerras, até nossos dias os cristãos seguem sendo perseguidos por mais diversos motivos. Por causa da sua fé, por motivos de seus valores ( vida, família, liberdade) apesar da perseguição e opressão Jesus nos incentiva a sermos proclamadores da paz.
Cabe ao cristão exercer a paz na família, na sociedade, na política, na cultura e na religião.

No Brasil os índices de violência aumentam em determinadas categorias.

Atualmente, de cada 100 pessoas assassinadas no Brasil, 71 são negras. De acordo com informações do Atlas, os negros possuem chances 23,5% maiores de serem assassinados em relação a brasileiros de outras raças, já descontado o efeito da idade, escolaridade, do sexo, estado civil e bairro de residência.“ Jovens e negros do sexo masculino continuam sendo assassinados todos os anos como se vivessem em situação de guerra”, compara o estudo. Outro dado revela a persistência da relação entre o recorte racial e a violência no Brasil. Enquanto a mortalidade de não-negras (brancas, amarelas e indígenas) caiu 7,4% entre 2005 e 2015, entre as mulheres negras o índice subiu 22%.

Em 2015, cerca de 385 mulheres foram assassinadas por dia. A porcentagem de homicídio de mulheres cresceu 7,5% entre 2005 e 2015, em todo o País.As regiões de Roraima, Goiás e Mato Grosso lideram a lista de estados com maiores taxas de homicídios de mulheres. Já São Paulo, Santa Catarina e Distrito Federal, ostentam as menores taxas. No Maranhão, houve um aumento de 124% na taxa de feminicídios. Segundo o Atlas, em inúmeros casos, as mulheres são vítimas de outras violências de gênero, além do homicídio. A Lei Maria da Penha categoriza essas violências como psicológica, patrimonial, física ou sexual.

O Atlas mostra também que o assassinato de jovens do sexo masculino entre 15 e 29 anos corresponde a 47,85% do total de óbitos registrados no período estudado. Nessa mesma faixa etária, em Alagoas, foram 233 mortes para cada 100 mil homens. Em Sergipe, 230 homens para 100 mil.Embora registre 197,4 casos por 100 mil habitantes, Rio Grande do Norte foi o estado que apresentou maior aumento na taxa de homicídios de homens nesta faixa etária, 313,8 %, no período entre 2005 e 2015.

Segundo o Índice de Vulnerabilidade Juvenil à Violência e Desigualdade, o Fórum Brasileiro de Segurança Pública acrescentou ao indicador de violência de jovens um indicador de desigualdade racial. A partir disso, constatou-se que os jovens negros entre 12 e 29 anos estavam mais vulneráveis ao homicídio do que brancos na mesma faixa etária. Em 2012, a vulnerabilidade alcançava mais que o dobro.[1]

 

Apontamentos pastorais:

  • Como cristão devemos promover a paz em toda e qualquer situação, nunca incentivar a violência nem propor a conquista de espaço a qualquer custo.
  • Devemos seguir a orientações de Jesus, a respeito da tolerância, paciência e harmonia entre os povos. Mateus 5,41 Assim, se alguém te forçar a andar uma milha, vai com ele duas.
  • Cabe aos cristãos reconhecerem os indivíduos independente de sua cor, condição social, formação educacional e cultura, diante de Deus todos são iguais, a partir da experiência da cruz, todos são perdoados e aceitos por Deus.
  • O compromisso com os mais jovens deve ser destacado a partir das ações eclesiásticas, quando a comunidade cristã promove ações com a juventude está desenvolvendo um processo de prevenção contra os males futuros, os jovens encaminhados nos princípios cristãos serão no futuro cidadãos que promoverão a paz entre os povos.
  • As mulheres tem sofrido os mais diversos abusos, físicos, morais, entre outros, cabe aos cristãos promoverem ações de fortalecimento e prevenção as mulheres, apoio em situação de exploração, solução para as crises de violência familiar, preparo e prevenção para que as mulheres não sejam abusadas no ambiente de trabalho, promover na igreja oportunidades de cura e restauração para as mulheres sofridas.

Dr.Cicero Bezerra

 

[1] https://www.cartacapital.com.br/sociedade/atlas-da-violencia-2017-negros-e-jovens-sao-as-maiores-vitimas 24 8 2017

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *