A Tentação do Poder

A ‘tentação do poder’ pertence à experiência quotidiana e se exprime na expressão: ‘O poder subiu-lhe à cabeça.’ ‘Pricipatus virum ostendit’, disse Bias, um dos sete sábios da Grécia, repetido por Tomás de Aquino (De Reg. Princ. I,10).
Contudo, é verdade também que o holismo do poder acaba fracassado. É a tragédia de todo poder despótico, pois nenhum poderoso faz o que quer. Encontra sempre pela frente outro poder, nem que seja a dignidade do mártir. A martyria faz frente à hybris. Face ao rei sempre se levanta o profeta, individual ou coletivo.”13 Neste contexto, o poder deve ser exercido em função do fraco e do oprimido. Ele não deve ser praticado ou exercido em função do próprio indivíduo, nem deve aproveitar a ignorância ou os valores distorcidos para manipular, exercer, ou estimular o fascínio dos desprovidos de capacitação intelectual para fazer uma análise crítica do modelo praticado.

One thought on “A Tentação do Poder”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *